Rio 2016

Atualizado quarta-feira, 05/08/2015 |09:25

Legado ambiental, crise econômica, obras: desafios a um ano dos Jogos

Terrorismo e rusgas entre prefeitura e ministério são outros obstáculos até o Rio 2016


Falta um ano para os Jogos Olímpicos do Rio. Daqui até o dia 5 de agosto de 2016 ainda há muito a ser feito. Eventos-teste, obras que ainda exigem atenção, uma crise política a ser resolvida e dúvidas em relação à situação econômica do país. Também já há o que se lamentar, como a pouca atenção ao meio ambiente. Confira os principais obstáculos até o início do Rio 2016.

Até a semana passada, as águas da Baía de Guanabara estavam aparentemente calmas, embora seguissem sujas. A publicação de uma matéria da agência de notícias Associated Press, porém, retomou com força o foco da poluição a poucos dias do evento-teste da vela, a partir do dia 15 de agosto. A matéria revelou níveis elevados de bactérias e vírus de esgoto nas raias olímpicas, alertando para o risco de doença para os atletas.

Velejadores foram novamente procurados pela imprensa, não para falar de esporte. Os brasileiros admitem a sujeira, mas acusam uma pressão dos estrangeiros para tirar as regatas da Baía de Guanabara – são três raias dentro e duas fora. Os anfitriões levariam vantagem nas intrincadas linhas de maré, causadas pela topografia, por velejarem há mais tempo no Rio. Mas os estrangeiros dizem que esta vantagem não existe mais, já que estão mapeando e treinando na região desde 2009, quando a cidade foi escolhida sede dos Jogos.

Infelizmente não houve (atitude empreendedora) em relação à Baía de Guanabara.
Axel Grael

Do lado do governo, o Instituto Estadual do Ambiente não reconheceu os testes da AP em um laboratório do Rio Grande do Sul, masadmitiu poluição fora dos padrões internacionais na Marina da Glória devido a uma saída de esgoto que ainda não foi fechada. Nesta segunda, a Secretaria Estadual de Ambiente (SEA) anunciou um acordo com sete universidades e três institutos de pesquisa para monitorar a qualidade da água e apresentar soluções para despoluir a Baía de Guanabara. O compromisso no dossiê de candidatura do Rio era tratar 80% do esgoto até 2016, número que está em 49%. A nova expectativa para solução do problema é 2030.

Fonte:globoesporte.com

Radio Princesa