"Que Mal Te Fiz Eu"

Atualizado quinta-feira, 08/06/2017 |16:43

Justiça proíbe Gusttavo Lima de tocar música

A decisão foi anunciada pela justiça do RJ em um processo movido pelo compositor português Ricardo Landum


O cantor Gusttavo Lima está proibido de cantar e comercializar a música “Que Mal te Fiz Eu”, sob pena de multa de R$ 50 mil por dia.

A decisão foi anunciada pela justiça do Rio de Janeiro nesta quinta-feira (8), em um processo movido pelo compositor português Ricardo Landum contra Gusttavo Lima, a Som Livre, a Balada Eventos (empresa do cantor) e o Google (dono do YouTube).

O compositor português sustenta que havia cedido a música “Que Mal Te Fiz Eu” desde que a obra não fosse alterada.

Porém Gusttavo Lima, ao gravá-la, suprimiu os versos “Não entendo, porque me desprezas e de mim te afastas, como se eu fosse um pedinte sim”.

Além disso, Ricardo alega não estar recebendo os direitos autorais da faixa. O processo ainda corre, mas a justiça acatou o pedido do compositor para já que já entrasse em vigor a proibição de comercializar a música por meio físico ou digital.

A defesa de Lima e da Som Livre entraram com um recurso contra a medida, que foi rejeitado. Além de Gusttavo Lima, outros artistas já gravaram a versão, como Wesley Safadão, Léo Santana, Tayrone Cigano e Aviões do Forró.

Por meio de sua assessoria de imprensa, Gusttavo Lima esclareceu que cumpriu rigorosamente o que lhe cabia, retirando a música do roteiro de seus shows até a decisão final do processo. No mesmo comunicado, o sertanejo afirmou que seu advogado já está tomando as providências cabíveis para que tudo seja esclarecido, em definitivo.

O advogado de Ricardo Landum, Leonardo Honorato, disse que não houve autorização expressa do autor para a modificação da letra e que ficou comprovado, em shows e nos discos lançados, que Gusttavo modificou a canção.

“Acredito que a condenação seja uma questão de tempo. Existem outros artistas que também executaram a canção de maneira errada. A seu devido tempo, vamos atrás deles também”, afirmou Leonardo.

O advogado disse que seu cliente está aberto a conversar com Gusttavo Lima sobre acordos, mas que não cabe a ele fazer o pedido.

“Nesta fase processual, estamos em uma posição bastante confortável. Um acordo interessa mais ao Gusttavo Lima do que a nós. Os canais para conversas, no entanto, estão todos abertos”, finalizou.