Recursos hídricos

Atualizado quinta-feira, 11/08/2016 |15:54

‘Todo dia diminui’, diz engenheiro do DNOCS sobre o nível de água na Barragem Armando Ribeiro Gonçalves

O reservatório se aproxima a cada dia mais do seu volume morto, segundo Rafael Mendonça


Engenheiro responsável pela Unidade de Campo do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS), com sede em Assú, Rafael Mendonça de Souza repassou informações atualizadas sobre a situação do principal reservatório hídrico do estado: a Barragem Engenheiro Armando Ribeiro Gonçalves. O engenheiro confirma que, hoje, a barragem dispõe de apenas 20% de sua capacidade total – que é de 2,4 bilhões de metros cúbicos e que a cada dia o índice de água armazenado diminui. Em sua fala, Rafael Mendonça externa sua preocupação diante da hipótese de um colapso no abastecimento.

Hoje a barragem está com uma reserva hídrica de 20%, um quinto do seu limite. Consideramos a situação como crítica. Para se ter uma ideia faltam mais de 16 metros para atingir a cota de sangria. Todo dia ela diminui um centímetro. A maior parte é por evaporação. A outra é devido a água despejada no rio, mantendo a perenização, necessária para a agricultura, abastecimento humano e outros fins”, relatou o representante do DNOCS.

Rafael Mendonça reafirmou o que já havia registrado em vezes anteriores ao se manifestar acerca da situação do mencionado reservatório localizado na região do Vale do Açu. No entanto, acrescentou que “a barragem está cada dia mais próximo de atingir a sua capacidade mínima. Todos dias ela [a barragem] atinge números históricos em volume mínimo”.

A falta de chuva tem sido o principal motivo para tal realidade na avaliação de Rafael Mendonça.

Estamos vivendo uma seca nos últimos anos que é bem pior do que a de um século atrás e a situação é preocupante”, ressaltou lembrando da importância de se utilizar a água de modo racional para preservar o que ainda resta.