segurança

Atualizado segunda-feira, 23/05/2016 |17:20

Secretário da Sejuc defende privatização das unidades prisionais

Segundo Virgolino, privatizar em 100% o sistema traria sérios transtornos ao Estado. “A parceria público-privada é muito importante para o sistema prisional. Isso tem que acontecer”, disse ele.


Com a crise penitenciária que se arrasta no Rio Grande do Norte desde o ano passado, a possibilidade de privatização das unidades prisionais do Estado foi levantada e está sendo debatida pelo novo secretário de Justiça e Cidadania, Walber Virgolino. Para o delegado paraibano, é importante haver parceria entre os poderes públicos e privados, entretanto, a chance de repassar as unidades de maneira total às empresas não deve ser considerada.

Até o último dia 10 de maio, o estado do Rio Grande do Norte registrou 200 fugas distribuídas da seguinte forma:

Penitenciária Estadual de Alcaçuz, em Nísia Floresta: 64 fugitivos em 11 fugas.

Cadeia Pública de Natal, em Natal: 46 fugitivos em 1 fuga

Centro de Detenção Provisória da Ribeira, em Natal: 29 fugitivos em 4 fugas

Penitenciária Agrícola Dr. Mário Negócio, em Mossoró: 24 fugitivos em 6 fugas

Cadeia Pública de Caraúbas, em Caraúbas: 11 fugitivos em 1 fuga

Presídio Rogério Coutinho Madruga, em Nísia Floresta: 7 fugitivos em 1 fuga

Cadeia Pública de Mossoró, em Mossoró: 6 fugitivos em 2 fugas

Centro de Detenção Provisória de Macau, em Macau: 4 fugitivos em 1 fuga

Centro de Detenção Provisória de Patu, em Patu: 4 fugitivos em 1 fuga

Centro de Detenção Provisória de Ceará-Mirim, em Ceará-Mirim: 2 fugitivos em 1 fuga

Centro de Detenção Provisória do Potengi, em Natal: 2 fugitivos em 1 fuga

Centro de Detenção Provisória de Parnamirim, em Parnamirim.

Juliano Lima

Jornalista trabalhou vários meios de comunicação no Brasil e hoje é repórter da Rádio Princesa do Vale e editor do Jornal da Manhã.
http://www.radioprincesadovale.com