Homicídios em queda

Atualizado sábado, 02/01/2016 |08:42

Estatística oficial inclui Assú entre cidades do estado onde ocorreu redução de assassinatos

Do total de registros de assassinatos ocorridos em 2015, Natal computou um total de 502 casos contra 588, em 2014, e Mossoró 162 contra 193, no ano passado


A Secretaria Estadual de Segurança Pública e da Defesa Social, SESED, por meio da Coordenadoria de Informações Estatísticas e Análises Criminais, COINE, em Natal, divulgou quinta-feira, 31 de dezembro, o relatório estatístico acerca dos Crimes Violentos Letais Intencionais, CVLIs, no Rio Grande do Norte. O relatório apontou uma redução de 115 assassinatos no estado, ao deste ano, quando comparado com 2014, o que representa uma redução de 6,5 por cento de CVLIs no estado. Em 2015 foram registrados 1.653 crimes violentos, enquanto que, no ano passado, foram 1.768 casos, revela levantamento publicado pela assessoria de comunicação da Secretaria, na capital do estado. Com este resultado, o estado supera a meta pactuada com o Ministério da Justiça que prevê uma redução de cinco por cento de CVLIs ao ano, nos estados da federação, até 2018, e consegue um feito inédito, desde 2004, quando a violência só crescia no estado. Conforme relatório, as maiores reduções ocorreram nas regiões Leste e Oeste Potiguar, onde também está incluída as cidades da região Metropolitana. No Leste Potiguar, a queda dos índices foi de 10,7 por cento e no Oeste Potiguar de 12,4 por cento. Do total de registros de assassinatos ocorridos em 2015, Natal computou um total de 502 casos contra 588, em 2014, e Mossoró 162 contra 193, no ano passado. Quanto as cidades que tiveram o melhor resultado, quanto a redução de CVLIs, estão Patu (menos 77,8 por cento), Umarizal (menos 70,6 por cento), Goianinha (menos 69,2 por cento), Areia Branca (menos 56,5 por cento), Pendências (menos 50 por cento), São José de Mipibu (menos 45,1 por cento), Serra do Mel (menos 40 por cento), Assú (menos 29,6 por cento), Mossoró (menos 16,1 por cento), Natal (menos 14,6 por cento), Ipanguaçu (menos 11,1 por cento), Macaíba (menos 6,9 por cento), Ceará Mirim (menos 3,5 por cento) e Parnamirim (menos 1,5 ponto percentual).