Trânsito: Mais vida

Atualizado segunda-feira, 04/01/2016 |07:40

Em Assú campanha educativa objetiva promover um trânsito legal sem vítima fatal

Periodicamenteintegrantes do moviment Trânsito Legal, Sem Vítima Fatal promovem ações de conscientização em Assú


Entra ano, sai ano e o trânsito brasileiro continua violento. No país a violência no trânsito [acidentes] é a segunda causa de morte entre jovens de 18 a 24 anos ficando, atrás apenas dos homicídios. No geral, em 2009, o Brasil ocupava o quarto lugar no ranking de acidentes de transporte terrestre na região do Mercosul. Hoje está na segunda colocação. A taxa de mortalidade, que era de 18,3 mortes por cem mil habitantes, subiu para 22,5 mortes no mesmo grupo. Quando não mata o trânsito deixa sequelas graves. Muitas são irreversíveis. Tratar das vítimas de acidentes de trânsito também demanda recursos que poderiam ser investidos em outras áreas. Segundo o Sistema Único de Saúde (SUS), em 2013, foram 170 mil 805 internações por acidentes de trânsito, mais da metade envolve motociclistas. O custo estimado no atendimento as vítimas, foi de 231 milhões de reais. A perda de um ente querido normalmente leva ao entristecimento. Quando se trata de alguém tão próximo como um filho esse sentimento se multiplica. Mas há exceções a esta regra. Em Assú a servidora pública municipal Antônia Darc Soares da Silva – ‘Loura’ é um exemplo disso.  O seu filho Francisco Hilton da Silva Júnior perdeu a vida em um acidente de trânsito em outubro de 2011 quando perdeu o controle da moto que conduzia e bateu violentamente na traseira de um caminhão na comunidade rural de Lagoa do Ferreiro de Fora as margens da RN 016 na saída de Assú para Carnaubais.

Para Loura, recordar o momento traz tristeza. Mas o luto se transformou numa luta para que outras vidas sejam preservadas. Com esse foco a família criou a campanha denominada ‘Vida no Trânsito – Trânsito Legal Sem Vítima Fatal’. O objetivo é apelar para a conscientização de pedestres, motoristas e todos que fazem parte do trânsito a fim de torná-lo mais humano e seguro.

Periodicamente são realizadas ações de conscientização em Assú. No último sábado, aconteceu mais uma mobilização no centro da cidade onde foram distribuídos folhetos educativos e bíblicos além de adesivos da campanha a quem passava pela rua Augusto Severo em direção a avenida Senador João Câmara via principal da cidade.

É incansável. Se não fizesse esse trabalho eu estaria depressiva. Perdi um filho jovem no trânsito e decidi ir a luta com amigos, família e companheiros para fazer essa ação que acho de grande valia. Temos alcançado frutos positivos. Muita gente tem chegado para nós e dito que mudou o seu comportamento no trânsito devido a essa campanha. Estamos iniciando o ano de 2016 e eu espero que pedestres e condutores estejam mais conscientes e respeitando a todos para que tenhamos um trânsito legal sem vítima fatal”, resumiu Loura.