Investigação

Atualizado quarta-feira, 16/12/2015 |09:26

Ex-prefeito de Macau é novamente envolvido em novas investigações deflagradas pelo Ministério Público

Legitimados pela representante do Ministério Público do Rio Grande do Norte, os atos têm por finalidade a instauração de Inquéritos Civis para que o órgão sequencie atividade de investigação


Procedentes do gabinete da primeira promotora de Justiça da comarca de Macau, bacharela Isabel de Siqueira Menezes, várias portarias têm espaço no exemplar de sexta-feira última, dia 11, do Diário Oficial do Estado. Legitimados pela representante do Ministério Público do Rio Grande do Norte, os atos têm por finalidade a instauração de Inquéritos Civis para que o órgão sequencie atividade de investigação. Os procedimentos criados têm os seguintes propósitos: apurar o efetivo pagamento de despesas públicas com multas, juros de mora nas contas da CAERN, COSERN e TELEMAR, no total de 25 mil 318 reais e 75 centavos, no ano de 2011; averiguar irregularidades na obra do Matadouro Público realizada através da Tomada e Preço número 008/2010, no valor de 140 mil 077 reais e 29 centavos, que se encontra fechado, sem qualquer utilização pública, sendo uma despesa pública inútil; apurar irregularidades na obra de reparos no enrocamento da contenção, no valor de 147 mil e 540 reais pagos a empresa MAC Construções e Serviços Limitada, através do Convite número 001/2011, tendo sido detectado o pagamento a maior do que o contratado; investigar irregularidades na execução da obra de pavimentação asfáltica na avenida santanense e na Avenida Manoel Casado, contratado através da Concorrência número 02/2010; apurar irregularidades na execução da obra de serviços de drenagem, restauração e  implantação de pavimentação de ruas e logradouros no Município de Macau, contratado através da Concorrência número 04/2011; e, averiguar inexecução do Convite número 03/2011, cujo objeto é a restauração e pavimentação com paralelepípedos, serviços de asfalto em CBUQ e instalação de rede de alta tensão na área de eventos. Em todos os casos o alvo principal da investigação é o ex-prefeito macauense, Flávio Vieira Veras, PMDB.