Desenvolvimento

Atualizado domingo, 06/12/2015 |18:15

Assú é a 12ª cidade mais desenvolvida do Rio Grande do Norte, aponta índice Firjan

Já a cidade de Ipanguaçu figura na posição 60º, Itajá em 23º e Carnaubais em 152º no índice IFDM. As regiões Norte e Nordeste têm quase 70% de suas cidades com desenvolvimento regular ou baixo: no Norte são 67,2% e no Nordeste, 69,1%.


Repórter Juliano Lima
Na última quinta-feira, 3, foi publicado mais uma edição do Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal, IFDM, trabalho este de pesquisa realizado pela Firjan (Federação das Indústrias do Rio de Janeiro) edição 2015. O IFDM tem como base o ano de 2013.
O pesquisa aponta o município do Assú como a 12ª cidade mais desenvolvida do estado do Rio Grande do Norte. Já a cidade de Ipanguaçu figura na posição 60º, Itajá em 23º e Carnaubais em 152º no índice IFDM.
Confira os resultados da mais nova edição do IFDM 2015:
Norte e Nordeste têm quase 70% das cidades com desenvolvimento regular ou baixo
As regiões Norte e Nordeste têm quase 70% de suas cidades com desenvolvimento regular ou baixo: no Norte são 67,2% e no Nordeste, 69,1%. A região Norte não possui nenhum município com alto desenvolvimento. Já a região Nordeste tem apenas dois municípios nesta classificação: Eusébio (0,8782) e Sobral (0,8197), ambos do Ceará.
As regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste continuam mais avançadas. O Sul do país é a região mais desenvolvida, com quase a totalidade (96,8%) de seus municípios com desenvolvimento alto ou moderado. O elevado desenvolvimento socioeconômico da região é observado de maneira homogênea nos três estados: o percentual de cidades com pontuação alta ou moderada é de 96% no Paraná, 96,3% no Rio Grande do Sul e de 98,6% em Santa Catarina.
No Sudeste, 91,5% dos municípios apresentam desenvolvimento alto ou moderado. A região possui a maior quantidade de cidades no estrato superior do ranking brasileiro do IFDM, respondendo por 65 das cem maiores pontuações, das quais 56 são do estado de São Paulo. Já o Centro-Oeste possui 86,4% de suas cidades com desenvolvimento moderado ou alto, cada vez mais próximo dos padrões observados nas regiões Sul e Sudeste. O resultado mostra que o desenvolvimento econômico da região, reflexo da ascensão do agronegócio, se converteu em conquistas importantes nas áreas de educação e saúde.

Juliano Lima

Jornalista trabalhou vários meios de comunicação no Brasil e hoje é repórter da Rádio Princesa do Vale e editor do Jornal da Manhã.
http://www.radioprincesadovale.com