O samba sambou

Atualizado quinta-feira, 15/06/2017 |17:30

Carnaval do Rio de Janeiro está suspenso

Prefeito reduziu pela metade a verba para os desfiles


O samba sambou. Pelo menos por enquanto. Na noite de quarta-feira (14), após reunião com os 13 presidentes das Escolas de Samba do Grupo Especial do Rio de Janeiro na sede da Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa), foi decidido que o Carnaval de 2018 está suspenso.

O prefeito da cidade, Marcelo Crivela, cortou pela metade da verba da Prefeitura para o Carnaval 2018, o que, de acordo com os dirigentes das agremiações, torna inviável o desfile do ano que vem.

O prefeito afirma que destinará a verba às creches conveniadas com o município, destinando a mais o valor de R$10 por criança.

“São 12 mil crianças que hoje estão em creche conveniadas. O Rio de Janeiro paga per capita R$ 10 para cada criança. É preciso aumentar pelo menos para R$ 20. Agora, façam as contas. Isso tudo exige de nós austeridade e sacrifício. Todos precisam contribuir. A prefeitura está contribuindo. Nós cortamos secretarias, nós cortamos mais de mil cargos políticos. O carnaval precisa contribuir conosco, nos ajudar nesse esforço”, disse Crivella no dia do anúncio.

Em nota, a Liesa disse que recebeu com surpresa a notícia sobre a decisão do prefeito. Confira na íntegra:

“Foi com surpresa que as Escolas de Samba do Grupo Especial da LIESA tomaram conhecimento da decisão do Exmo. Sr. Prefeito da Cidade do Rio de Janeiro de reduzir em 50% (cinquenta por cento) o apoio financeiro para a produção dos Desfiles do Carnaval de 2018. Considerando os enormes benefícios econômicos, financeiros, de geração de empregos e de renda, além da valorização da imagem da Cidade do Rio de janeiro e do Brasil. Considerando, também, o aumento substancial de arrecadação de impostos e receitas diretas e indiretas proporcionadas durante o período de preparação e realização dos desfiles carnavalescos; considerando, mais, que tal medida anunciada trará graves consequências para a produção do espetáculo, tornando inviável a realização do mesmo, nos moldes em que é anualmente apresentado; considerando ainda, a visita do então candidato a Prefeito à sede da LIESA, firmando o compromisso de manter a subvenção para as Escolas de Samba, no mínimo nos moldes do ano anterior, com a perspectiva de possíveis acréscimos, visando o engrandecimento do espetáculo. Diante do acima exposto, as Escolas de Samba do Grupo Especial, representadas por seus Presidentes abaixo assinados, vêm esclarecer a opinião pública que, em reunião realizada na sede da LIESA, no dia 14/06/2017, chegaram a conclusão que, a prevalecer a decisão do Exmo. Sr. Prefeito Marcelo Crivella, ficarão inviabilizadas as apresentações das Escolas de Samba, no Carnaval de 2018. Em face dos fatos narrados, as Escolas de Samba aguardam o agendamento, o mais breve possível, da audiência já solicitada anteriormente com o Exmo. Sr. Prefeito e os Presidentes das Escolas de Samba e da LIESA, com o objetivo de se encontrar uma solução para o problema, tendo em vista a gravidade dos fatos”.

Marcelo Crivella está viajando e uma audiência com a Liesa está prevista pra acontecer no início da semana que vem.

Sambistas organizam uma passeata para o próximo sábado, as 15h, saindo da porta da prefeitura e seguindo até a praça da Apoteose.