Luto

Atualizado quinta-feira, 07/07/2016 |13:56

Morre Guilherme Karan, aos 58 anos

Ator sofria de síndrome hereditária


Após travar uma grande luta contra a rara síndrome de Machado-Joseph, doença  genética e hereditária, podendo ser transmitida pelo pai ou mãe, ator Guilherme Karam morreu na manhã desta quinta-feira (07), no Hospital Naval Marcílio Dias, na Zona Norte do Rio de Janeiro. O ator estava internado há dois anos, tratando da doença.
Conhecido por personagens marcantes, o último trabalho de Guilherme Karam na televisão foi na novela América, de uma de suas grandes amigas, a novelista Gloria Perez. A trama foi exibida na Globo em 2005. Karan também conquistou o carinho do público quando integrou o elenco do extinto humorístico TV Pirata, no qual eternizou diversos personagens, como o apresentador da TV Macho, Zeca Bordoada.
De acordo com o pai de Guilherme, o militar aposentado Alfredo Karam, o ator herdou a doença da mãe, que repassou também aos outros três filhos. Dois morreram, além da mãe, e uma irmã de Karan se mantém em uma cadeira de rodas.
Nas raras visitas no hospital, nos últimos seis meses, Guilherme Passou a permitir a presença de poucos amigos como a atriz Tessy Callado. Isso porque ele já não falava mais é só se comunicava com os olhos.
A síndrome de Machado-Joseph é uma doença autossômica dominante, causada por uma mutação no gene do cromossomo 14, que gera uma proteína anormal (a ataxina 3) que se acumula dentro de algumas células do cérebro. O diagnóstico é feito através de uma conversa com o paciente, onde é verificado se existe algum histórico da doença na família. Pode-se também realizar um teste genético para verificar a existência da síndrome. O tratamento é paliativo, ou seja, apesar de pesquisas, ainda não encontraram uma vacina ou tratamento que extermine a doença.